Capa

Diário Grande ABC

O teste das novidades. Coluna Carlos Brickmann

EDIÇÃO DOS JORNAIS DE DOMINGO, 15 DE DEZEMBRO DE 2019

13.12.2019  |  283 visualizações

 

Resultado de imagem para DEDINHOS, TSE

 

 O presidente Bolsonaro está disposto a apostar em novidades nas eleições de São Paulo: quer lançar para prefeito o jornalista José Luiz Datena, muito popular, mas nunca testado em eleições; e para governador o empresário Paulo Skaf, há doze anos presidente da Fiesp, Federação das Indústrias do Estado de São Paulo. São conhecidos, têm estrutura, têm potencial, mas:

1 – Datena já ensaiou outras candidaturas, mas desistiu no caminho. Tem bons motivos: primeiro, é um ídolo, e se for candidato vira alvo das máquinas de destruição de reputação; segundo, terá que deixar de lado salários estimados em R$ 3 milhões por mês, e se contentar com 1% do total, aproximadamente o ordenado do prefeito. E, de estilingue, vai virar vidraça. São Paulo está abandonada e ele teria de cuidar dos problemas todos.

2 – Paulo Skaf é um bom articulador (tanto que se eterniza no comando da Fiesp sem que ninguém lhe faça oposição). Tem estrutura montada, está próximo do presidente Bolsonaro, tem bons amigos capazes de ajudá-lo, o Sesi e o Senai, que ele dirige no Estado, têm ótima reputação, especialmente na área da instrução em tempo integral. Mas seus dois empreendimentos eleitorais não funcionaram: na primeira campanha, pelo PSB, foi quarto; na segunda, pelo PMDB, foi segundo. Em ambas o PSDB ganhou no primeiro turno. O invencível candidato em eleições sindicais não mostrou até agora a capacidade de entusiasmar o eleitor.

O bolsonarismo conseguiria elegê-lo?

 E os outros?

A eleição para prefeito em São Paulo promete ser difícil. O PSDB é forte e tem o governador do Estado. Joice Hasselmann, segunda deputada federal mais votada do Brasil, pode sair para a Prefeitura ou a vice. Lula quer atrair para o PT uma antiga petista, Marta Suplicy, que já foi prefeita, e tem no seu currículo a introdução do bilhete único no transporte coletivo paulistano. É briga de gente grande – e o prêmio para Datena é herdar os problemas de uma cidade há anos mal administrada, ganhando 1% do que recebe hoje.

 Núcleo duro

Boa parte do empresariado paulista apoia Bolsonaro, 60% consideram sua administração ótima ou boa. E Bolsonaro recebeu há dias o Grande Colar da Ordem do Mérito Industrial da CNI, Confederação Nacional da Indústria. Skaf será um aliado fiel: tirando o período Dilma – aí também já seria demais- apoiou todos os presidentes.

Se tem apoio no Governo, jamais romperá com ele.

 Fervendo

A desembargadora Maria do Socorro Santiago, ex-presidente do Tribunal de Justiça da Bahia, talvez queira falar alguma coisa depois de se transformar em alvo da Operação Faroeste. Contratou para sua defesa o criminalista André Luís Callegari, que já orientou delações premiadas. Se ela optar por esse caminho, estará pondo em risco gente importante da Bahia. A desembargadora está presa preventivamente na Papuda, em Brasília. Entre outros clientes, o advogado cuidou de Wesley e Joesley Batista, da JBS, que fizeram devastadoras delações premiadas, atingindo até o presidente Temer.

 A festa da mexerica

O caro leitor sabe que o maior salário que pode ser pago pelo Tesouro é equivalente ao de ministro do Supremo, algo como R$ 40 mil mensais. Saber todos sabemos: o problema é que alguns de nós acreditamos. O Tribunal de Justiça de Pernambuco pagou a juízes e desembargadores, em novembro, quantias líquidas de até R$ 853 mil. Mas não sejamos injustos: a quantia de R$ 853.002,43 foi paga a apenas uma juíza. Já o segundo colocado, que é desembargador, teve de se contentar com apenas R$ 695.742,49.

A média das quantias pagas a 53 desembargadores – como já havia constatado o sambista Assis Valente, nem todo mundo é filho de Papai Noel – foi menor, de R$ 206.411,00. Pouco mais de cinco vezes o teto constitucional.

 Chegando lá

Como atingir quantias tão superiores ao teto? Ora, abono constitucional de um terço das férias, indenização de férias, antecipação de férias, gratificação natalina, antecipação de gratificação natalina, serviços extraordinários, substituição, pagamentos retroativos. Pague e não bufe.

Boa notícia

A reputação de engenharia confiável e soluções criativas bem executadas marcou a construtora Mendes Junior na China, quando liderou a construção da hidrelétrica de Tiangshengqiao, de 1,2 milhão de kW, em região remota. Resultado: 18 anos mais tarde, a gigante PowerChina se associou à Mendes Junior para uma grande obra no Brasil, a extensão da linha 2 do Metrô paulistano, que duplicará o número de passageiros transportados na região.

Atingida por uma série de problemas – Lava Jato, a morte do lendário comandante Murillo Mendes, dívidas bilionárias que o Governo Federal se recusa a pagar – a Mendes Junior ganha forças para se recuperar. Este colunista, que por muitos anos trabalhou com a empresa, também comemora.

_________________________________________
CURTA E ACOMPANHE NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK
______________________________________________________________
ASSINE NOSSA NEWSLETTER NO SITE CHUMBOGORDO (WWW.CHUMBOGORDO.COM.BR)
___________________________________________________
COMENTE:
carlos@brickmann.com.br
Twitter:
@CarlosBrickmann
www.brickmann.com.br

Leia também...

24.01.2020
Aguarde: Moro está de saída. Coluna Carlos Brickmann

EDIÇÃO DOS JORNAIS DE DOMINGO, 26 DE JANEIRO DE 2020

21.01.2020
Verdade, que é a verdade? Coluna Carlos Brickmann

EDIÇÃO DOS JORNAIS DE QUARTA-FEIRA, 22 DE JANEIRO DE 2020

14.01.2020
O bafo de bolso. Coluna Carlos Brickmann

EDIÇÃO DOS JORNAIS DE QUARTA-FEIRA, 15 DE JANEIRO DE 2020

10.01.2020
Até a guerra hoje é fake. Coluna Carlos Brickmann

EDIÇÃO DOS JORNAIS DE DOMINGO, 12 DE JANEIRO DE 2020

Entre em contato