Capa

Ranço, ranço total , geral e irrestrito. Por Marli Gonçalves

23.10.2020  |  85 visualizações

Peguei um ranço horroroso, monumental, dessa gente, de tudo isso, desse momento de horror pelo qual passamos, não estou podendo nem escutar as vozes deles. Você também já deve ter visto pelas ruas muitas daquelas camisetas horrorosas onde está escrito “Ranço”. Palavra horrorosa. Mas começo até a entender melhor a sua disseminação louca. As pessoas mais jovens podem até não ter noção exata de qual é o seu sentido, seja o real ou o figurado, mas é ranço mesmo.

Pois não é que agora agarrei no sentido figurado? Não é uma questão ideológica. Nem de oposição, que sou mesmo, disso não tenha dúvida. Nem é birra pura e simples. Está insuportável, fazendo muito mal inclusive para a nossa saúde mental ouvir as declarações, saber dos atos e acontecimentos, acompanhar o momento pré-eleitoral, os bate-bocas, o dia a dia nacional, as bandidagens, o cenário de terror que buscam impor.

Resisti. Ah, resisti sim. Mas admito agora que não há palavra melhor do que ranço para definir o que sinto ao ver e ouvir os caralavadas e ignorantes espalhados nesse governo federal, seus asseclas e apaniguados, civis, militares, religiosos, parvos, ignorantes, machistas e já nem sei mais o quê; tantos problemas, falas, que levam o Brasil rapidamente a um retrocesso cada vez mais visível. Um presidente verdadeiramente patético, aplaudido por seres que nos apresentam uma triste ópera bufa, e lacaios, ignorantes que ficam batendo palmas para maluco dançar, sem máscara, batendo no peito, arrotando disparates com aquele irritante sorrisinho de canto de boca.

Ranço. Também em outros níveis, para não ser parcial, ranço dos tais gestores que não gestam é nada. De discussões ignorantes e fora de hora sobre uma vacina – seja de onde for, até da Cochinchina, e que nem bem ainda existe, mas já tem até embalagem nova. Uai! Viu isso? Pois é.

Ranço de assistir o país entrar cego em uma perigosíssima política internacional.

Ranço de – não tem jeito – mesmo que tirando o som - ver a cara pálida e de plástico do Russomano desfilando promessas e falsidades, com aquela expressão oleosa, lívida, cheia de botox (vamos apostar quantas aplicações de repuxantes foram feitas só naquela testa? Vamos? Eu calculo umas dez, e você?). E o tal Mamãe, falei? O Sabará Saberá, que já foi até expulso do partido Novo, e que de novo não tem é nada? Já não tem mais humor que resista ao horário eleitoral. Imagino como está a campanha em outras regiões. Minha solidariedade. Feliz Ranço Eleitoral 2020!

O significado literal de ranço é “decomposição ou modificação que sofre uma substância gordurosa em contato com o ar, dando causa a um gosto acre e a um cheiro desagradável; mofo”. No sentido figurado, “coisa de caráter obsoleto, ou que perdeu a atualidade, se tornou antiquado”. Na gíria, ranço é um “sentimento de repúdio, raiva ou desprezo que uma pessoa tem por outro alguém; quando você não quer ver aquela outra pessoa nem pintada de ouro”.

Adoraria não vê-los mais nem pintados de ouro, muito menos com dinheiro saindo das cuecas. E não é que dá para usar o sentir ranço deles em todos os sentidos? -  são gordurosos, mofados. Suas mentiras e atos cheiram mal. São antiquados, fazem uma política velha, e, pior, diariamente estão nos fazendo lembrar tristemente de alguns dos piores momentos da ditadura militar que assombrou por duas décadas o país.

Estão aí, tentam se disfarçar, mas são os mesmos e estão aí. Atacam as mulheres, os jovens, as minorias, a Constituição, os direitos humanos, o bom senso, as liberdades individuais, as conquistas. Queimam riquezas, paralisam a Ciência, menosprezam o conhecimento, a Educação, a Saúde.

Menosprezam a nossa inteligência. Nos despertam os nossos sentimentos mais primitivos. Nos dão ranço. Um gosto horrível.

_________________________

______________________________________________

MARLI GONÇALVES – Jornalista, consultora de comunicação, editora do Chumbo Gordo, autora de Feminismo no Cotidiano - Bom para mulheres. E para homens também, pela Editora Contexto. À venda nas livrarias e online, pela Editora e pela Amazon.

marligo@uol.com.br / marli@brickmann.com.br

_____________________________________________________________

(se republicar, por favor, se possível, mantenha esses links):
Instagram: https://www.instagram.com/marligo/
Blog Marli Gonçalves: www.marligo.wordpress.com
No Facebook: https://www.facebook.com/marli.goncalves
No Twitter: https://twitter.com/MarliGo