Capa

Diário Grande ABC

O bode do escândalo. Coluna Carlos Brickmann

EDIÇÃO DOS JORNAIS DE QUARTA-FEIRA, 21 DE JULHO DE 2021

20.07.2021  |  346 visualizações

Dizem que há muitos anos, numa região muito pobre, um lavrador vivia com a enorme família numa casa minúscula, quase em ruínas. Um dia, ele se queixou ao padre da aldeia da vida que levava: além de tudo, a família toda vivia reclamando das más condições e do pouco espaço da casa. Mas como mexer nisso, sem dinheiro? O padre o aconselhou: leve seu bode para dentro de casa e daqui a uma semana vamos conversar. O lavrador obedeceu. E na semana seguinte voltou dizendo que tudo estava muito pior: o espaço tinha diminuído, o bode destruía o que podia e ainda cheirava pior que as histórias de compra de vacinas. O padre lhe disse: tire o bode de dentro da casa. Dois dias depois, o lavrador agradeceu ao padre: sem o bode na sala, todo mundo estava mais feliz, se sentia melhor, e as queixas tinham virado elogios.

Essa história de o fundão eleitoral passar de R$ 2 bilhões (o que já é fora de propósito) para R$ 5,7 bilhões não é igualzinha a botar o bode na sala? O presidente veta R$ 5,7 bi, se acertam todos em algo como R$ 4 bi, e todos ficam felizes: Bolsonaro fatura o veto, Suas Excelências comem o dobro da já enorme verba de campanha, e haverá quem acredite que o presidente que come picanha de R$ 1.700,00 o quilo por nossa conta defendeu o Tesouro.

O gasto público na campanha eleitoral brasileiras já é o maior do mundo, isso antes do bode na sala. Como diria Dilma Rousseff, alcançada esta meta, dobramos a meta. E continuamos trabalhando para alimentar pançudos.

 De ponta a ponta

Quando se trata de sugar mais dinheiro da população, ideologia deixa de ser importante: deputados que adoram Lula e deputados que amam Bolsonaro votaram juntos para triplicar as verbas de campanha. Farinha do mesmo saco. Condenarão a tunga, embora tenham votado por ela. Aceitarão com ar de sofrimento, em nome do interesse nacional, a falsa redução de verbas que representará, na verdade, o dobro daquilo que já mamam.

 Senhor juiz: pare agora!

A única solução para a indecente situação do financiamento de campanha é o pedido já feito ao Supremo para que suspenda o escândalo. Espera-se que o ataque a nossos bolsos vá contra a lei. Ou a politicalha vai tomar o nosso.

 Em poucas palavras

O Fundo Eleitoral é o dinheiro que Excelências tomam dos cidadãos para decidir quem ocupará os cargos que lhes permitirão continuar a tomá-lo.

 Clima tempestuoso

Por sorte, boa parte dos ministros do Supremo cansou dos ataques diários de Bolsonaro e dos pigmeus armados que acreditam que o Mito seja mesmo um Fantasma imortal. O ótimo colunista Aziz Ahmed, do jornal O Povo, diz que, se algum parlamentar solicitar ao Supremo que ordene a Arthur Lira, o presidente da Câmara, que deixe de reter os pedidos de CPI que cumpram as exigências legais, será atendido.

Chegou a hora do pau nas rachadinhas.

 Esquentando o confronto

Os principais países do Ocidente acabam de acusar a China de acobertar uma campanha mundial de ataques a computadores de outros países. Quem acusa: Estados Unidos, OTAN (aliança militar ocidental), Austrália, Japão, Reino Unido, Nova Zelândia e Canadá. A linguagem é dura, pouco comum nos meios diplomáticos: “O Ministério de Segurança do Estado da China tem estimulado um ecossistema de hackers criminosos que realizam atividades patrocinadas pelo Estado e também cometem crimes digitais para seu próprio lucro”. Diz o secretário de Estado americano Anthony Blinken: “Isso é uma grande ameaça para nossa economia e segurança nacional”.

O objetivo chinês, diz a aliança ocidental, é roubar segredos industriais e informações confidenciais em Aviação, Defesa, Educação, Produção Naval, Governo e Biomedicina, em países como Alemanha, EUA, Suíça, Arábia Saudita, Áustria, Camboja, Indonésia, Reino Unido, Noruega e Malásia.

 O tamanho da encrenca

Foi por acusações parecidas que uma diretora da Huawei, a líder chinesa e mundial em telecomunicações, foi presa no Canadá a pedido dos EUA. Além de diretora importante, é filha do fundador e presidente da Huawei, a empresa que disputa com empresas ocidentais a implantação de redes 5G. Essas disputas dificilmente são limitadas: em geral, associam-se a embargos, bloqueio de bens de empresas e diretores, bloqueio de novas encomendas.

 Boa notícia

O Governo paulista divulgou ontem decreto prevendo emissão zero de gases de efeito estufa (que, de acordo com estudos internacionais, provocam o aquecimento global) até 2050. Com isso, o governador João Doria alinha o Estado ao esforço mundial para evitar variações abruptas de clima, capazes de provocar tragédias como desertificação de áreas férteis e inundações.

São Paulo é a primeira entidade federativa do Brasil e da América Latina a se unir ao esforço dos países desenvolvidos para enfrentar a mudança de clima.

________________________________________________
CURTA E ACOMPANHE NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK
______________________________________________________________
ASSINE NOSSA NEWSLETTER NO SITE CHUMBOGORDO (www.chumbogordo.com.br)
___________________________________________________
COMENTE:
carlos@brickmann.com.br
Twitter:@CarlosBrickmann
www.brickmann.com.br
---------------------------------------------------------------------------------------

Leia também...

15.10.2021
O herdeiro de Dilma é o Dilmo. Coluna Carlos Brickmann

EDIÇÃO DOS JORNAIS DE DOMINGO, 17 DE OUTUBRO DE 2021

12.10.2021
O Feriado do Sr. Presidente. Coluna Carlos Brickmann

EDIÇÃO DOS JORNAIS DE QUARTA-FEIRA, 13 DE OUTUBRO DE 2021

08.10.2021
Perdoa-me por me traíres. Coluna Carlos Brickmann

EDIÇÃO DOS JORNAIS DE DOMINGO, 10 DE OUTUBRO DE 2021

05.10.2021
Big Techs na hora da verdade. Coluna Carlos Brickmann

EDIÇÃO DOS JORNAIS DE QUARTA-FEIRA, 6 DE OUTUBRO DE 2021

Entre em contato